Cidadania: Por que Votar?

Temos ultimamente ouvido muitos candidatos que estão colocando a sua “cara” à mostra e afirmando que vão, se eleitos, lutar por uma ou outra causa, que precisam de uma oportunidade para trabalhar por nós, e outras séries de discursos que ouvimos um após o outro sem, contudo, sabermos se estão sendo verdadeiros ou falsos na maioria das falas. Aí vem a questão: por que votar? Ou como votar? Diante de tantos candidatos e promessas.

Penso que a democracia é muito difícil de ser exercida, pois todos, de acordo com a lei, têm o direito, no Brasil é obrigação, de votar em alguém que será nosso representante, ou seja, aquele que vai representar nossos desejos, da maioria, para que haja a construção de uma sociedade digna de se viver. Mas como saber se aquele ou aquela candidata vai mesmo cumprir o que promete, pois tantos candidatos depois de eleito mudaram suas posições ou somente trabalharam para seus interesses particulares ou de um grupo.

Por que votar? Temos que lembrar que em vários momentos da história o voto nos foi tirado e imposto por pessoas que nem de longe faziam parte do povo e muito menos lutavam para uma vida melhor e sim de falta de liberdade, censura, opressão e violência. Podemos nos referir ao período da Ditadura Militar no Brasil (1964-1985). A democracia é um processo de tentativas, acertos e erros, mas que leve ao aprendizado de exercer o poder maior do que o voto, que é o poder de fiscalização e acompanhamento do trabalho de quem foi eleito, pois somente votar e achar que tudo esta resolvido é, no mínimo, inocência . O nosso voto é muito importante e realmente pode mudar nossas vidas se nos interessarmos mais em saber se aquilo que se fala poderá acontecer no caso dos candidatos pela primeira vez e os à reeleição, se fizeram aquilo que tinham prometido anteriormente e se suas realizações foram para servir o povo (maioria) ou grupos.

Na chamada República Velha, tínhamos o voto de cabresto, no qual o eleitor já saía de casa com uma cédula específica para votar num determinado candidato imposto pelos coronéis, sem poder escolher, assim como uma série de fraudes eleitorais aconteciam como: pessoas que votavam com nome de falecidos, candidatos que enchiam um caminhão de eleitores para levar até as seções eleitorais com o nome do candidato no bolso, eleitores que vendiam o voto a troco de dentadura, sapatos novos, cesta básica ou qualquer outra coisa de interesse imediato.

Portanto, se quisermos que um dia tenhamos uma democracia, ou seja, governo do povo, para o povo e pelo povo, temos que votar, mas também precisamos cobrar mecanismos legais para que possamos acompanhar os nossos representantes de fato e ainda serem obrigados a cumprir suas promessas e, caso não a façam, serem destituídos e penalizados.
Fonte: JCNET
Anterior Proxima Página inicial