Operação Inverno 2016 será lançada no Recife, nesta sexta-feira


A Prefeitura do Recife lança, na manhã desta sexta-feira (18),  a Operação Inverno. O evento ocorrerá, às 9h30, no Alto do Reservatório, no Córrego do Jenipapo, na Zona Norte.
A ideia é garantir segurança aos moradores que vivem em áreas de rico e mobilidade urbana para toda a população. Este ano, a operação vai contar com uma novidade: será realizada a instalação de um sistema denominado "Estação Total Robotizada" (ETR).
Uma barreira também deslizou no Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife. Por sorte, ninguém se feriu (Foto: Leonardo Nunes / WhatsApp) Ele é composto por sensores que emitem sinais infravermelhos para equipamentos implantados nas encostas dos morros. Isso permite que o sistema avalie com precisão o deslocamento do solo nas encostas dos morros.
A Operação Inverno é uma ação conjunta da Secretaria Executiva de Defesa Civil, Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) e da Guarda Municipal do Recife.
Planos
A iniciativa prevê reforço na cobertura de pontos de colocação de lonas e aumento do número de vistorias em áreas de risco. Também haverá trabalho intenso em localidades de alagados em todas as regiões da cidade.
Em 2016, a Secretaria Executiva de Defesa Civil planeja levar proteção com lonas para 15.500 pontos da cidade.  Isso significa 1.500 localidades a  mais em relação a 2015. Também vai realizar cinco mil vistorias a mais do que no ano passado. Serão 45 mil, ao todo, atendendo áreas de risco em 55 bairros prioritários.
A operação vai levar 3,2 milhões de metros quadrados de coberturas plásticas para encostas. Isso representa 200 mil metros quadrados a mais do que em 2015. “Nosso grande foco é trabalhar nos morros. Também estamos atentos aos possíveis problemas em comunidades que ficam perto dos rios e córregos”, observa o secretário-executivo de Defesa Civil do Recife, coronel Cássio Santana.
Para o secretário, o maior desafio das autoridades é  ampliar a conscientização dos moradores. “Precisamos fazer com que a população entenda o perigo. As pessoas devem saber o momento certo de sair de casa e de retornar. Precisamos deixar bem claro para eles que não se deve cortar barreira nem plantar bananeiras, por exemplo”, informou.
Santana aposta todas as fichas na educação. Para ele, trabalhar com as crianças é essencial. “A Defesa Civil tem como prioridade preservar a vida. Para isso, precisamos de prevenção e o trabalho nas escolas é fundamental”, declarou.
Anterior Proxima Página inicial