Ataque a empresa de carro-forte em Campinas tem cenário de guerra


Antes da fuga, a quadrilha queimou dois caminhões em alças de acesso para a Rodovia Anhanguera (SP-330) para quem segue de Indaiatuba para Campinas. Segundo a polícia, a ação foi para impedir a perseguição.
A polícia fechou ainda a saída da Avenida Prestes Maia, que dá acesso para a SP-330 e a alça de acesso para a mesma rodovia no sentido interior.
Em março do ano passado a mesma empresa foi atacada e os criminosos roubaram R$ 7 milhões.
Munição de arma ponto 50 usada no ataque a Protege em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)Armados com fuzis, ladrões invadiram a empresa de transporte de valores Protege e roubaram milhões de reais que estavam em um dos carros-fortes na noite de  4 de março, em Campinas. Um segurança teve ferimentos leves. Ninguém foi preso.
De acordo com a Polícia Militar, os vigias contaram que pelo menos 10 homens participaram do assalto e levaram cerca de R$ 7 milhões.
Os ladrões chegaram em três carros por volta das 21h e pararam em frente à garagem da empresa, no bairro São Bernardo. Encapuzados e armados, eles alvejaram a fachada da companhia e, principalmente, a cabine onde estavam os vigias, que é blindada. As marcas dos disparos ficaram por todo o acesso.
Caminhão incendiado na alça de acesso para a Rodovia Anhanguera (Foto: Reprodução EPTV)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial